Estudos comprovam: a Fé pode ajudar no tratamento e na cura de doenças

25.05.2015

Crença pode melhorar qualidade de vida e bem-estar durante recuperação. Estudo mostra que ter uma religião pode reduzir o risco de morte em 30%

“Fé (do Latim fides, fidelidade e do Grego πίστη pistia) é a adesão absoluta a uma hipótese, a qual a pessoa que tem fé, passa a considerá-la como sendo uma verdade] , sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação, pela absoluta confiança que se deposita nesta ideia ou fonte de transmissão.”

Acreditar no tratamento, no médico, em si mesmo e na recuperação é extremamente importante e pode ajudar inclusive no resultado e na cura de diversos problemas.

Muitos céticos e descrentes não acreditam no poder da fé, no poder da oração, mais estudos comprovam sua eficácia.

A fé pode ser uma grande aliada da saúde, faz bem para a imunidade, melhora a resposta a processos de quimioterapia ou radioterapia, por exemplo, e ainda pode ajudar a combater depressão, ansiedade e problemas de sono.

untitled

A pesquisa, feita pela Faculdade de Medicina de Dartinouth, revelou que a probabilidade de pacientes cardíacos morrerem após a cirurgia era 14 vezes maior entre os que não participavam de atividades religiosas. Em seis meses, 21 morreram. Já todos os 37 que se declararam extremamente religiosos tiveram alta.

O médico Herbert Benson, da Faculdade de Medicina de Harvard, afirma que o estresse é responsável por pelo menos 60% das doenças que atingem o homem moderno. Além disso, faz o organismo produzir o agente inflamatório interleucina-6, que está associado a infecções crônicas, diabetes, câncer e doenças cardiovasculares.

Segundo o médico, ao rezar ou meditar seguidas vezes, o paciente atinge um estado de relaxamento capaz de reduzir o impacto dos hormônios no organismo. A oração continuada desacelera os batimentos cardíacos, o ritmo de respiração, baixa a pressão sanguinea e reduz a velocidade das ondas cerebrais, melhorando a condição física.

Para comprovar essa tese, um trabalho do Instituto Dante Pazzanese, com quase 250 artigos de todo o mundo, concluiu que a prática regular de atividades religiosas – sejam elas quais forem – pode reduzir o risco de morte em 30%.

Isso porque ter uma religião promove bem-estar psicológico, menos pensamentos e comportamentos suicidas, menos consumo de álcool e drogas e um maior incentivo a hábitos saudáveis. O estudo mostrou ainda que a religião contribui também para reduzir a carga viral em pacientes com HIV, além de reduzir mortes por AVC e problemas cardíacos.

Mosorando

Veja bem, não estamos falando de religião e sim de fé. Aquela energia capaz de transformar situações e sentimentos. Aquele sentimento que arrebata e nos faz crer em algo maior.

Crer é importante é um fato, mas como fortalecer a fé? Para cultivar a espiritualidade é preciso acreditar na vida, ser positivo e crer que há uma razão para os acontecimentos.

Existem várias formas de se demonstrar ou “clamar” , algumas pessoas são mais religiosas outros povos adotam mantras repetitivos acreditando piamente na força das palavras.

Posso afirmar que tenho uma fé muito grande e não tenho vergonha em admitir e me resignar com fervor absoluto quando necessário. E já tive presenciei fatos surpreendentes, tanto em questões de saúde quanto do trabalho.

A fé acredito eu, seja como a lei da atração, do magnetismo. fe-razao-600x390

E acho ótimo quando pesquisas comprovam isso, porque como sempre digo: se não faz mal, bem fará!

E vocês o que acreditam? Já tiveram alguma prova?

Conta para gente…

Fonte: G1, Instituto Dante Pazzanese, Viva Saúde

 

Adaptação: Flavia Santos França

 

Deixe seu comentário: